PET Ciências Biológicas – UFV

Biologia em Foco

Viçosa, abril de 2006 * Nº44

    Vila Gianetti, 30*(31) 3899-2295*www.ufv.br/petbio*petbio@ufv.br

Prof. Lucio Campos; Amanda Miranda; Carla Oliveira; Étori Aguiar; Evelyze Pinheiro; Lucas Dornelas; Karine Freitas; Mário Moura;

Odair Campos; Paula São Thiago; Rômulo Areal; Swiany Lima; Tatiana Rigamonte; Vitor Fernandes.

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Artigos

 

 

 

 

 

 

 

 

Sugestões

 

 

Uso Biotecnológico da Agrobacterium tumefaciens

 

  Crônica

 

 

 

 

 

 

    

 

  Eventos

 

  Notícia

 

 

 Outras edições

 

 

 

 

 Seção do leitor

 Todos os artigos

 

Agrobacterium tumefaciens é uma bactéria do solo, que vem sendo bastante utilizada em experimentos de biologia molecular.
Essa bactéria Gram-negativa é o agente etiológico da doença chamada de galha-da-coroa (esse gênero de bactéria causa doença, principalmente, em angiospermas dicotiledôneas)
, caracterizada pela formação de tumores na coroa (junção entre o caule e a raiz). As células dessa região se multiplicam descontroladamente devido à transferência de genes da bactéria para estas células.

A capacidade de infectar a planta hospedeira deve-se à presença do plasmídeo Ti (Tumor-inducing) em Agrobacterium tumefaciens. Ele apresenta duas regiões essenciais: a região do T-DNA, que é transferida, e a região vir (região de virulência), que codifica proteínas responsáveis pelo processo de transferência do T-DNA para a célula vegetal.

Fonte: www.aspnet.org

Após a transferência, o T-DNA é integrado ao genoma das células vegetais e os genes que o constituem passam a codificar enzimas envolvidas na biossíntese de hormônios vegetais como citocininas e auxinas, que levam a um desbalanço hormonal levando a um crescimento exagerado das células que receberam o T-DNA, caracterizando a galha; além de expressarem enzimas que sintetizam opinas (aminoácidos ou carboidratos modificados), que são catabolizadas unicamente pelo patógeno.

Esse potencial de transferência de genes vem sendo explorado pela biotecnologia, pois os genes que naturalmente constituem o T-DNA podem ser substituídos por outros genes de interesse, como marcas de seleção (genes que expressam resistência a um antibiótico, por exemplo).

A transformação genética (transferência de genes) usando a Agrobacterium tumefaciens como vetor é bem empregada em plantas, mas outros organismos também têm sido alvo desta técnica, como fungos e animais, inclusive células humanas. Uma aplicação desta técnica seria a mutação aleatória de genes que pode ajudar a elucidar a função de muitos genes ainda desconhecidos.



 

 Swiany Silveira Lima

 

 

Referências:

 

- BRASILEIRO, A.C.M.; LACORTE,C. Agrobacterium: um sistema natural de transferência de genes para plantas. Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento: www.biotecnologia.com.br

 

- TZFIRA,T.; LI,J.; LACROIX, B.; CITOVSKY,V. Agrobacterium T-DNA integration: molecules and models.TRENDS in Genetics 20: 375-383. 2004.

 

- ANDRADE, G.M., SARTORETTO, L.M. & BRASILEIRO, A.C.M. Biologia molecular do processo de infecção por Agrobacterium spp.Fitopatologia Brasileria 28:465-476. 2003.